''Não acho que a questão seja depois que sentamos na mesa; a questão é que a gente não senta na mesa. Não estamos fazendo conteúdo o suficiente''

Juliana Wallauer, mulher, mãe e uma das editoras-chefe do Podcast Mamilos

O jornalismo em áudio na Internet não é mais o mesmo que o de dois anos atrás. A ascensão de podcasts e programas de áudios tem inovado o mercado jornalístico online e vêm cativando novos e antigos ouvintes que buscam conteúdos de qualidade. Segundo uma pesquisa feita pela Pew Research, de 2015, sobre as novidades midiáticas dos Estados Unidos, mostra que a porcentagem de americanos que ouvem podcasts passou de 9%, em Julho de 2008, para 17%, em Janeiro de 2015.

O avanço dos podcasts pode ser explicado a partir das inovações tecnológicas nas quais estamos inseridos. O demasiado interesse por celulares e aparelhos dispositivos acarreta em usuários que buscam conteúdos de qualidade, em plataformas eficientes, com informações corretas e ágeis. Nesse momento, os podcasts entram em ação como uma boa alternativa de mídia, em detrimento à outras, especialmente rádios AM e FM, devido a maior conectividade em carros, por exemplo.

E no Brasil? Como é a realidade dos podcasts? Existem dados concretos?

No país, cresceu substancialmente o interesse e o consumo de podcast por parte dos usuários. Tal afirmação torna-se nítida ao revelar a grande audiência, a produção de alta qualidade e a fama no mundo digital de “podcasters” dos principais programas do país, como Nerdcast e outros.  Mesmo sem dados concretos acerca das relações entre este novo meio de comunicação e os meios mais antigos, uma pesquisa realizada pela PodPesquisa, de 2014, traçou um panorama geral sobre perfil dos ouvintes, como idade e sexo; interesses; localização; etc.

Em relação ao sexo dos ouvintes, a pesquisa citada revelou que somente 13% dos internautas são do sexo feminino, em contraponto, com 87% do sexo masculino, no ano de 2014. Já outra pesquisa, realizada em 2016, pela Agência Prótons, primeira empresa focada na venda de publicidade em podcasts, revelou que o perfil dos ouvintes entre os sexos continua discrepante: 31% dos ouvintes são mulheres apenas.

Afinal, por que essa diferença de gênero entre os ouvintes? Existe algo que explique o motivo de homens consumirem mais podcasts? Segundo a pesquisa do Ibope Inteligência de 2014, cerca de 53% dos usuários da internet são mulheres, o que revela uma contradição digital: Embora elas sejam maioria, isso não reflete da mesma maneira nos podcasts.

Matéria completa: https://podcastjad.wixsite.com/elaspod/single-post/2016/11/24/Mulheres-nos-Podcasts