Natural de Pelotas (RS), a 260 km de Porto Alegre, a desembargadora Iris Helena Medeiros Nogueira, 64, ainda se emociona ao relembrar o dia de sua posse, em 1º de fevereiro, como presidente do TJ-RS (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul). Foi a primeira mulher nomeada em 148 anos de existência do órgão. É, também, a primeira negra a ocupar o cargo. "Vivi, na posse, um dos momentos mais importantes da minha vida. Eu, claro, não tinha como planejar que seria a primeira mulher, a primeira negra, frente ao poder Judiciário", diz a magistrada, que agora comandará a entidade responsável por julgar casos em segunda instância de todo o estado.

Filha de um advogado, diz ter sido inserida no mundo do Direito desde muito cedo, dentro da família. São quase 40 anos dedicados à profissão, e ela fala, com orgulho, da carreira e da vida que construiu. "Não tenho filhos, sou solteira e sou uma pessoa muito feliz, que brinda com a vida e faz o que gosta", afirma. Embora reconhecida há muito tempo como referência por seus pares, ela diz que assumir o TJ não era uma meta, mas um acontecimento natural em seu caminho. "Minha pretensão sempre foi julgar, depois, com o tempo, a gente vai ficando antiga no local de trabalho e os demais colegas vão percebendo a forma com que nos relacionamos", diz.

Pioneirismo feminino

Formada pela UFPel (Universidade Federal de Pelotas), a primeira mulher a ascender à chefia do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul construiu seu pioneirismo aos poucos. Nogueira se tornou juíza em 1986. Depois de diversas passagens em cidades do interior do estado, voltou para Porto Alegre. Em 2004, então, foi promovida ao posto de desembargadora. "É uma trajetória de muito aprendizado, de profundo respeito ao Judiciário, tendo sempre presente a necessidade das pessoas. Era uma época, em que os processos eram físicos e usávamos máquina de escrever", recorda.

Entre os feitos do seu currículo, há outras vitórias: foi a primeira mulher a integrar o conselho deliberativo da Ajuris (Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul), e a primeira a comandar a Corregedoria-Geral. da Justiça do estado.

Fonte: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2022/02/15/justica-do-rs-esta-nas-maos-de-uma-mulher-negra-pela-1-vez-